Built with Berta.me

  1. CONQUEST

    “Toda a adaptação inclui a execução do material específico, e não específico mas facilmente discernível, contido na partitura da dança que forneço por escrito. Seja a linguagem detalhada ou vaga, entre a partitura escrita e a interpretação escondem-se elementos que não podem ser definidos porque a minha “dialéctica” verbal é deliberadamente incapaz de definir a dialéctica de movimento do intérprete. A significância de uma adaptação inclui as limitações impostas ao intérprete pela minha coreografia e/ou as limitações que o intérprete impõe a si mesmo/mesma.”

    Deborah Hay em Mais Acerca da Adaptação, 2011

  2. Coreografia Deborah Hay

    Adaptação e Performance Jorge Gonçalves

    Aconselhamento Artístico Ana Rocha

    Producão Mezzanine

    Apoio à Residência GDA - Gestão dos Direitos dos Artistas, Tanzfabrik-berlin, Uferstudios e Academia de Dança de Matosinhos

    Integrada no programa Improvisações/Colaborações, a Fundação de Serralves convidou a coreógrafa norte-americana Deborah Hay a realizar o PORTO SOLO PERFORMANCE COMMISSIONING PROJECT.

    Jorge Gonçalves foi um dos artistas que apresentou a sua adaptação do Solo Conquest de Deborah Hay. Apresentação dia 2 de Julho no Teatro Municipal de Vila do Conde.

    O Porto Solo Performance Commissioning Project constitui-se com 8 adaptações da peça Conquest de Deborah Hay pelos coreógrafos portugueses António Júlio, Cristiana Rocha, David Marques, Joana von Mayer Trindade, João Martins, Jorge Gonçalves, Sofia Neves e Teresa Silva.