Built with Berta.me

  1. ANTOINE

    “Antoine pode ser qualquer um, um de nós, um que não está, … Figura prosaica que não sendo enunciada como real ou ilusória, é transportada para o espaço que este dueto evoca.”

    As questões em Antoine colocam-se no domínio das estratégias de percepção do movimento, no que estas envolvem para suster a presença do corpo no espaço de apresentação. Pensado para um dispositivo espacial em redor do público, é confrontando a concepção dos lugares de cada um dos corpos numa instalação de forças mínimas e de contenção que abrimos espaços implosivos para provocar um olhar activo no espectador.

    Dentro de um registo minimal, hipnótico e sedutor, é sobre o agir à superfície que aqui formalizamos as propostas, sendo que é este equacionar da natureza objectiva das situações que põe em causa a razão de dueto ou o seu privilégio. Operando num plano de abstracção, podem emergir indícios de enredo, mas estes somente surgem como produto da distracção, como fruto do diálogo entre os dois intérpretes e dos seus sentidos de humor.

  2. Concepção Coreográfica e Performance Jorge Gonçalves e Ludger Lamers

    Desenho de Luz Pedro Fonseca

    Vídeo António Caramelo

    Produção Ana Rocha

    Fotografia Alexandre Martins

    Apoio em Residência Artística DeVIR CAPa (Faro), PerFormas (Aveiro), Primeiro Andar – associação cultural e Teatro do Frio – pesquisa teatral do norte (Porto)

    Agradecimentos Audiência Zero, Bolos Quentes Design, Circolando, Piso – colectivo, Strange Loops e Tanzfabrik (Berlin)